Porque estou preocupado com a Catalunha


Já há algumas semanas que digo aos meus amigos e conhecidos que, mais do que a Coreia do Norte, me preocupa a situação na Catalunha.

A razão desta preocupação reside no facto de estar a ver desenhar-se um conflito no país vizinho cujo desfecho é totalmente imprevisível e que poderá ser, dependendo das estratégias e reações de cada um, de uma gravidade extrema.

Discutir se é legal, ou não, a declaração de independência do parlamento da Catalunha, não faz para mim qualquer sentido. Uma revolução é por natureza ilegal e é perante uma revolução que nos encontramos, embora a sua validação futura esteja dependente dela promover, ou não, aquilo que deseja o respetivo povo.

Parece-me, pois, que os espanhóis, mais do que debaterem a questão da legalidade, deveriam procurar negociar com os catalães − nem que isso obrigasse à alteração da respetiva constituição − a realização de uma qualquer espécie de referendo sobre a independência daquele território, referendo esse que deveria, naturalmente, ser antecedido de um intenso trabalho de esclarecimento sobre os prós e contras dessa independência. Custa-me a crer que os catalães, se bem informados, não percebessem as enormes desvantagens que a independência lhes traria…

Infelizmente, porém, as partes em conflito não estão ainda a tentar negociar nenhuma solução para o mesmo e, pelo contrário, assumem posições tão afastadas que a situação pode descontrolar-se a qualquer momento. Isto, apesar de ambos os lados estarem a tentar comportar-se de forma civilizada, com particular destaque para os catalães, que até aqui têm sido irrepreensíveis nesse aspeto.

Para que a violência ecluda basta haver um incidente, ou uma sucessão deles, que qualquer uma das partes considere insuportável. E depois dela eclodir, tornar-se-á difícil controlá-la. Qualquer político sabe isto, incluindo os extremistas…

Preocupo-me, então, pelos espanhóis, cuja paz está ameaçada e preocupo-me também pelos portugueses.

É que Espanha, além do nosso único vizinho, é também o nosso principal parceiro comercial.

Numa altura em que, com muita dificuldade, estamos a tentar reerguer-nos de uma crise económica que ainda não acabou, uma das piores coisas que nos podia acontecer era um conflito armado mesmo à nossa porta. Mas até aqui a probabilidade dele acontecer só tem vindo a aumentar.

Esperemos, então, que esta situação seja rapidamente invertida  e que o bom senso prevaleça. Para o bem dos espanhóis e dos portugueses.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Loja Lusa

Blog dedicado ao melhor de Portugal e dos produtos portugueses.

O Que Dizes Tu?!

Os olhos dizem o que as mãos pensam

The Fujifilm Blog

Explore the world of Fujifilm's X Series and GFX!

O Informador

Jornalismo, média, actualidade nacional e internacional

The Daily Post

The Art and Craft of Blogging

Desvio Colossal

Macroeconomia, Finanças Públicas & Economia portuguesa

Ilimitado

"Nunca se alcança objetivos com lágrimas"

No Reino da Dinamarca

Something is rotten in the State of Denmarke

Aventar

Expor ao vento. Arejar. Segurar pelas ventas. Farejar, pressentir, suspeitar. Chegar.

VAI E VEM

Não renunciarás à tua liberdade de expressão e de opinião

The WordPress.com Blog

The latest news on WordPress.com and the WordPress community.

%d bloggers like this: